Arquivo Nacional

logo_AN

O Arquivo Nacional, criado em 1838, conserva hoje, em sua sede, no Rio de Janeiro, e em sua Coordenação Regional, no Distrito Federal, mais de 55 quilômetros de documentos textuais, cerca de 1,74 milhão de fotografias e negativos, 200 álbuns fotográficos, 15 mil diapositivos, 4 mil caricaturas e charges, 3 mil cartazes, mil cartões postais, 300 desenhos, 300 gravuras e 20 mil ilustrações, além de mapas, filmes, registros sonoros e uma coleção de livros raros que supera 8 mil títulos.

A documentação textual, proveniente dos poderes Executivo, Judiciário e Legislativo federais, inclui também coleções privadas. A correspondência e a legislação originadas em todo o império ultramarino português, os arquivos trazidos com a corte de d. João VI em 1808, entre tantos outros, descrevem o início da sociedade brasileira. Com a ruptura do vínculo colonial, a formação do Império pode ser conhecida por meio dos documentos gerados pelos ministérios e pelos órgãos judiciários, além dos originais da Constituição de 1824 e da Lei Áurea.

Nos conjuntos produzidos pelo regime republicano, destacam-se registros de entrada de imigrantes, patentes de inventos, livros de registro civil, processos de pretorias cíveis e criminais, projetos de urbanização e obras de saneamento referentes aos primeiros anos do século XX. Exemplares das constituições, a partir de 1891, processos do Tribunal de Segurança Nacional, relatórios dos órgãos de censura, documentos de entidades que compunham o aparato de repressão às lutas políticas e de diversas outras instituições governamentais refletem a formação do Brasil contemporâneo e aspectos relevantes da história recente do país. Além dos documentos provenientes dos órgãos de informação e contrainformação do regime militar, são fundamentais os arquivos particulares e de entidades privadas, entre eles os de Floriano Peixoto, Afonso Pena, Góes Monteiro, San Tiago Dantas, João Goulart, Federação Brasileira Pelo Progresso Feminino e Instituto de Pesquisa e Estudos Sociais – IPES.

Composta por mapas, plantas e cartas náuticas, a documentação cartográfica reúne mais de 44 mil títulos sobre as características geográficas de diversas regiões do mundo e do território brasileiro do século XVIII ao XX. Referentes ao Brasil destacam-se os projetos de urbanismo e infraestrutura, como ferrovias, linhas telegráficas, portos, açudes, canalização de rios e sistemas de abastecimento de água.

A documentação audiovisual tem seu marco inicial na década de 1860, coincidindo com a expansão da fotografia. Do universo de imagens produzidas por importantes fotógrafos brasileiros e estrangeiros que atuaram no Brasil e no exterior, sobressaem os arquivos da Agência Nacional (1930-1979), do jornal Correio da Manhã (1901-1974) e da família Ferrez (1839-2000), bem como registros privados da Coleção Fotografias Avulsas.

O acervo sonoro abrange o período de 1902 a 1990 e é composto por mais de 11 mil itens, entre discos e fitas de áudio dos fundos Agência Nacional, Presidência da República, Rádio Mayrink Veiga, Humberto Franceschi, Rádio Jornal do Brasil, Casa Edison e Serviço de Censura de Diversões Públicas, além de coleções de música erudita e popular.

O conjunto de imagens em movimento possui expressivos registros da história e da cultura brasileira. São 33 mil títulos, perfazendo um total de 124 mil rolos de película cinematográfica e 4 mil fitas videomagnéticas. Fazem parte desse acervo cinejornais, documentários, obras de ficção, filmes publicitários e familiares, e recortes de filmes que foram alvo da censura, oriundos da Agência Nacional, da Divisão de Censura de Diversões Públicas, da TV Tupi e da Comissão Nacional de Energia Nuclear, entre outros fundos e coleções.

O Arquivo Nacional é o órgão central do Sistema de Gestão de Documentos de Arquivos-SIGA, da administração pública federal e integra a estrutura do Ministério da Justiça e Segurança Pública, tendo a finalidade de implementar a política nacional de arquivos, por meio da gestão, do recolhimento, do tratamento técnico, da preservação e da divulgação do patrimônio documental do governo federal, garantindo pleno acesso à informação, visando apoiar as decisões governamentais de caráter político-administrativo, o cidadão na defesa de seus direitos e de incentivar a produção de conhecimento científico e cultural. No cumprimento de sua missão mantém um programa voltado para publicações impressas e digitais, portais web, festivais de cinema, seminários, promoção de concursos de monografias, entre outras atividades. Do mesmo modo, um portfólio de 25 anos de exposições organizadas em sua sede, em espaços culturais do Rio de Janeiro, e em outras cidades brasileiras, evidencia o compromisso da instituição com a preservação e a difusão do seu acervo.

Arquivo Nacional: http://www.arquivonacional.gov.br

Para informações sobre reprodução de fotografias entrar em contato com: consultas@arquivonacional.gov.br ou telefone: (21) 2179-1227 | (21) 2179-1228

AN